Justiça manda pastor devolver passaporte concedido por Serra

Na decisão, o juiz dá cinco dias para a devolução dos documentos diplomáticos porque concessão não levou em consideração os interesses do Brasil

Da Agência PT de Notícias

Diário do Centro do Mundo

Por decisão da Justiça Federal em São Paulo, o pastor R. R. Soares e a sua esposa, Maria Magdalena Ribeiro Soares, ambos da Igreja Internacional da Graça de Deus, terão que devolver os passaportes diplomáticos concedidos pelo ministro golpista das Relações Exteriores, José Serra (PSDB).
A decisão do juiz Tiago Bologna Dias, da 7ª Vara Federal Cível, data de 29 de junho, se baseia na separação entre o Estado e a religião, prevista na Constituição do Brasil. De acordo com o magistrado, a concessão do benefício aos pastores não atende ao “interesse do País”, um dos requisitos previsto em lei para a emissão de passaportes diplomáticos.
“Na Ordem Constitucional vigente, o Estado é laico, há separação plena entre Igreja e Estado, de forma que é efetivamente incompatível com a Constituição que líder religioso, nesta condição e no interesse de sua instituição religiosa, seja representante dos interesses estatais brasileiros no exterior”, escreveu o juiz na sentença.
“Vale dizer, a opção de conveniência e oportunidade deverá respeitar os parâmetros constitucionais, legais e regulamentares incidentes e sua conformidade com os fins do instituto.”
Na decisão, o magistrado diz que, além do alegado interesse do país, o ministro Serra deveria explicar os motivos de forma mais detalhada para autorizar os passaportes diplomáticos, que permitem a entrada e saída em alguns países com relação diplomática com o Brasil sem a necessidade de visto. O juiz determinou ainda cinco dias para a devolução dos passaportes concedidos irregularmente.
O ministro golpista das Relações Exteriores, José Serra, concedeu passaporte diplomático, com validade de três anos, também ao pastor Samuel Cassio Ferreira, da Assembleia de Deus. Ele é citado em denúncias de corrupção contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A esposa de Ferreira, a pastora Keila Campos Ferreira, também recebeu o benefício de Serra, em ato publicado no dia 18 de maio no Diário Oficial da União.
Em outro episódio recente, a deputada federal Geovania de Sá (PSDB-SC), encaminhou a Serra ofício pedindo que seja contratado Maurício Studt, sem concurso público, para exercer funções em Brasília (DF) ou Florianópolis (SC).

Os números de 2015

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 14.000 vezes em 2015. Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 5 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Em biografia, Urach diz que venceu um passado sujo para ajudar quem se sente em um beco sem saída

Morri Para Viver será lançada no final de agosto em todo o País

Do R7

Reprodução/Instagram


Biografia de Andressa Urach será lançada no fim de agosto

Uma vida cercada de polêmicas e arrependimentos é a marca da biografia de Andressa Urach, que será lançada no fim de agosto em todo o País pela editora Planeta. Morri Para Viver traz o mais completo e revelador relato de como a modelo se tornou uma das prostitutas mais bem pagas do Brasil, a vida com as drogas, a obsessão por cirurgias plásticas e a experiência de quase morte em decorrência do uso de hidrogel.
Arrependida de todo o seu passado, Andressa Urach contou como foi relembrar a vida de garota de programa que levou durante anos.

— Foi muito difícil recordar coisas que eu tentei esconder a vida inteira. Sofri e chorei muito, porque sempre tentei apagar isso da minha memória. Voltar às cenas que passei me envergonhou. Na verdade, é um desabafo de todo um passado sujo e nojento que eu vivi.

Morri Para Viver foi escrito por Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Record. A publicação tem tiragem de um milhão de exemplares. Logo na contracapa, o livro já detalha algumas das revelações de Urach. “Como ela se tornou uma das prostitutas mais caras e desejadas do País. A rotina no bordel onde construiu seu nome de guerra: Ímola. O chocante e constrangedor diário de uma garota de programa”, diz em um dos trechos.
A biografia traz ainda detalhes sobre “os casos secretos com clientes ricos e famosos. Empresários milionários, cantores, jogadores de futebol, artistas, bandidos, religiosos”.
Andressa Urach destaca, no entanto, que o objetivo do livro não é virar polêmica, mas, sim, servir de incentivo a quem pretende mudar de vida.

— Venci a vergonha de um passado sujo para tentar estender a mão para quem se considera em um beco sem saída.

Andressa contou também como conseguiu arranjar forças para superar todos os problemas que viveu.

— Sofri muito com os problemas de saúde que tive e passado isso, vi que ganhei uma segunda chance e não quis desperdicá-la. Para começar, tive que assumir todos os meus erros. Minha fé e Deus me ajudaram nesse processo.

Mãe de uma criança de dez anos, Urach disse ainda como foi contar seu passado para o menino.

— Ele soube de tudo logo após minha segunda internação. Ele é uma criança muito carinhosa. O amor supera tudo. O que importa hoje é que eu estou viva e sou uma outra pessoa.

Se ela se arrepende de alguma coisa de seu passado?

— Tudo. Se eu pudesse, mudaria tudo. Quero fazer daqui para frente uma história nova.

A partir do dia 1º de setembro até 15 de dezembro, Andressa viajará todos os estados do Brasil para lançar a biografia.

Juiz declara Flávia Alessandra ‘litigante de má-fé’ em processo contra Fabíola Reipert

Atriz perde processo após trocar tribunal de Justiça por academia e contrato publicitário

Do R7

Cleomir Tavares/Divulgação


Flávia Alessandra aparece em evento um dia após faltar a tribunal

O juiz João Paulo Capanema declarou Flávia Alessandra como litigante de má-fé em processo que movia contra a colunista do R7 Fabíola Reipert.
No último dia 9 de fevereiro, as duas teriam uma audiência de conciliação no Rio de Janeiro, mas a atriz não compareceu, alegando fortes cólicas, e entregando um atestado médico de cinco dias que recomendava “repouso absoluto”.
No entanto, no dia da audiência, Flávia foi fotografada saindo de uma academia de ginástica no Rio de Janeiro.
No dia seguinte, a atriz bebia cerveja durante o lançamento do camarote Devassa no Carnaval 2015 (foto), no qual seria garota-propaganda ao lado do marido, o apresentador Otaviano Costa.
Segundo o colunista Lauro Jardim, o juiz Capanema deu ganho de causa a Fabíola Reipert e determinou que Flávia Alessandra pague os custos do processo e multa de 1% do valor da causa por agir de má-fé.
O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro deve avaliar a veracidade do tal atestado médico.

Os números de 2014

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 38.000 vezes em Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 14 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Primeiros lançamentos de Nada a Perder 3 vendem mais de 181 mil exemplares e destacam sucesso editorial

Eventos lotam livrarias e espaços de divulgação em todas as regiões onde livro já foi lançado

Do R7

Michel Negreiros/Record Entretenimento/Divulgação


Em Brasília, público começou a formar filas logo cedo para comprar o livro

Os primeiros lançamentos de Nada a Perder 3 mostram que o sucesso da obra ganha cada vez mais fôlego em todas as regiões do País. Em menos de 15 dias, já foram mais de 181 mil exemplares do livro vendidos em eventos nas capitais das regiões Norte e Centro-Oeste.
A autobiografia do bispo Edir Macedo, escrita em coautoria com Douglas Tavolaro, vice-presidente de Jornalismo da Record, tem se mostrado um verdadeiro fenômeno editorial recente. Apenas em Brasília (DF), foram 51.031 exemplares vendidos em poucas horas de Nada a Perder 3 — Do Coreto ao Templo de Salomão: a Fé que Transforma.
Neste volume, Edir Macedo conta histórias exclusivas da expansão da Igreja Universal para mais de cem países e da sua vida em família, além de revelar detalhes inéditos sobre a inauguração do Templo de Salomão, o maior centro religioso da América Latina, com capacidade para 10 mil pessoas.

Brasília

Milhares de pessoas compareceram, no último sábado (1º), ao lançamento do último volume da biografia do bispo em Brasília. A obra, que narra histórias inéditas sobre a expansão da Igreja Universal para mais de cem países e sua vida em família ao lado dos filhos e de sua mulher, Ester, contou com longas filas na Livraria Cultura do CasaPark, que fica na região central da cidade.
O público começou a formar filas logo cedo para comprar o livro, no maior lançamento da obra na região Centro-Oeste. Na capital do País, o terceiro volume da biografia do bispo Edir Macedo foi lançado na Livraria Cultura do CasaPark, que fica na região central da cidade.
Por volta das 8h, duas horas antes da abertura do shopping em Brasília, milhares de pessoas enfrentaram fila. Os corredores do shopping ficaram lotados durante todo o dia. Até do lado de fora do prédio, tinha gente esperando para entrar na livraria. Pessoas na fila diziam que estavam ansiosas para comprar o livro.
É o caso de Mikael Bernardo, que mora no município goiano de Luziânia, cidade a cerca de 60 km de Brasília. Com dois livros na mão, um para ele e outro para a namorada, ele conta que acordou cedo e esperou por duas horas debaixo do sol, mas que valeu a pena.

— O que está escrito [no livro] é para edificar. Quem lê tem muito crescimento espiritual. Já li os dois primeiros livros e estou contando os segundos para ler o terceiro.

Os bispos Sidney Costa, Hermes Soares, Fernando Mendes e Sidnei Marques, que estavam representando o bispo Edir Macedo no evento, participaram do lançamento autografando os livros.
Jornalistas da TV Record Brasília, como o âncora do DF no Ar, Giulianno Cartaxo, também estiveram presentes. Cartaxo afirmou que a história de Edir Macedo é inspiradora.

— Além de ser uma biografia, a obra é, no meu caso e tenho certeza que para muita gente também, um livro de autoajuda. Ele [o bispo] mostra que quando a gente se encontra em becos que parecem não ter saída, há sempre uma brechinha que Deus abre para você.

O diretor da Record Brasília, Carlos Alves, também pegou autógrafos em seus exemplares e acredita que as histórias de superação de Edir Macedo chamam a atenção das pessoas.

— O sucesso se deve à história de vida do bispo, sobretudo a de superação. O terceiro volume, já pelo título, mostra que alguém que está em uma situação que não tinha uma perspectiva muito grande, pregando em um coreto, de repente inaugura o Templo de Salomão. Ele revela para as pessoas que é possível mudar, ultrapassar obstáculos.

De acordo com a organização do evento, 51.031 exemplares foram vendidos no lançamento da capital federal.

Lançamento em outras capitais

O livro já foi oficialmente lançado em nove capitais do País. A região Norte foi a primeira a ser contemplada. Em Manaus, por exemplo, também se formaram longas filas num shopping da cidade.
O sucesso se repetiu em Rio Branco, no Acre, em Macapá, no Amapá, na capital de Roraima, Boa Vista, em Porto Velho, Rondônia. Como é o fim da trilogia, a curiosidade aumenta.
A região Centro-Oeste também teve outros lançamentos de Nada a Perder 3. Em Goiânia, as filas começaram no estacionamento, para chegar à livraria em um shopping. Em poucas horas, 50.129 livros foram vendidos para leitores.
Uma multidão também lotou o evento de lançamento em Campo Grande. As filas começaram na rua, do lado de fora de um dos salões de eventos mais importantes da capital de Mato Grosso do Sul.

A trilogia

A trilogia Nada a Perder traz a história do bispo Edir Macedo narrada sob diversos aspectos. O primeiro livro, Nada a Perder – Momentos de Convicção que Mudaram a Minha Vida, revelou os obstáculos superados pelo maior líder do segmento evangélico do País e passou a marca de 1 milhão de exemplares vendidos.
O segundo volume, Nada a Perder 2 – Meus Desafios Diante do Impossível, relata o caminho de conquista da Rede Record, percurso que envolveu grandes dilemas e confrontos. Os dois primeiros livros venderam mais de 4 milhões de cópias em todo o mundo.
O último livro da série, Nada a Perder 3 – Do Coreto ao Templo de Salomão: a Fé que Transforma, possui relatos comoventes de quem superou todos os tipos de adversidades e conquistou milhões de fiéis nos lugares mais remotos do planeta. O livro também revela um pouco da vida de Edir Macedo como pai e marido. Em suas páginas, é possível encontrar fotos do arquivo pessoal do bispo e segredos que ele prometeu contar sobre o casamento. O que tem despertado a curiosidade dos leitores.
Na semana que vem, o terceiro volume da trilogia chega ao Sul do País e será lançado em Curitiba (PR) e Florianópolis (SC), e irá então para Palmas (TO), na região Norte.

Criador da ‘Dilma Bolada’ nega ter recebido dinheiro do PT

Paródia da presidente no Facebook voltou ao ar uma semana depois de ter o fim anunciado

Érica Saboya
Do R7

Reprodução/Facebook/Jeferson Monteiro


Monteiro disse que aceitaria convite para participar da campanha

Jeferson Monteiro, o criador do perfil “Dilma Bolada”, paródia da presidente Dilma Rousseff em redes sociais, negou que tenha recebido dinheiro do PT para colocar as contas novamente no ar, sete dias após a página da personagem no Facebook ter sido deletada. Ele chamou de “boatos” as informações que circulam na internet de que teria fechado um acordo com o partido para colaborar com a campanha da presidente à reeleição.

— Não existe nenhum vínculo meu com o PT. Eu gosto muito da Dilma e não teria problema em assumir se estivesse na campanha. Mas nenhuma conversa com o partido influenciou o retorno da “Dilma Bolada”.

Monteiro criou o personagem de humor em 2010 e, desde então, arrastou mais de um milhão de seguidores para a conta. Fã declarado de Dilma, ele evita brincadeiras que deponham contra a imagem da presidente. Os dois chegaram a se encontrar em 2013 e, segundo Monteiro, se deram “super bem”.
Após a contusão de Neymar durante a Copa do Mundo, Dilma atendeu a um pedido da personagem e publicou foto fazendo o gesto “É Toiss”, em referência a uma brincadeira do atacante. Monteiro disse que vai manter o mesmo tom durante a campanha eleitoral.
Em entrevista ao R7, ele admitiu que não pretende recusar caso receba alguma proposta do PT.

— Se houver um convite para o Jeferson trabalhar na campanha, aí eu aceito numa boa, sou profissional. Até mesmo prestando consultoria. O que me incomoda um pouco é que eles ficam colando a volta da Dilma Bolada a uma suposta função que eu ganhei agora, o que não aconteceu.

A conta no Facebook foi reativada na terça-feira (29) com uma mensagem em que o personagem diz ter retornado de “mini-férias pós Copa”. Segundo Monteiro, o retorno aconteceu porque ele sentiu falta da atividade, que considera um hobby, e vontade de participar das eleições.